Interior da sala Tereza Rachel do Theatro Net Rio

Na noite desta quarta (4), o famoso Teatro Tereza Rachel (mais conhecido como Terezão) reabriu as suas portas com uma sessão fechada para convidados do espetáculo Bibi – Histórias e Canções, protagonizado pela Dama do Teatro Brasileiro Bibi Ferreira (filha do saudoso e gigante Procópio Ferreira) que comemora no palco seus 90 anos de vida e 70 anos de carreira.

Inaugurado em 1971, dentro do Shopping Cidade Copacabana (também conhecido como Shopping dos Antiquários) pela atriz Tereza Rachel, o teatro começou suas atividades com um show da cantora Gal Costa (Fa-Tal – Gal a Todo Vapor). Depois disso, inúmeras peças produzidas pela própria Tereza Rachel invadiram o teatro e durante os anos 70, o teatro viveu sua era de ouro com montagens como Um Bonde Chamado Desejo (com Tereza e Eva Wilma no elenco) e a Gota D’água de Chico Buarque (com a Dama Bibi Ferreira no elenco) e muitos outros, além de shows de artistas consagrados como Caetano Veloso, Luiz Gonzaga, Raul Seixas, Rita Lee, Belchior, MPB4, etc.

Já nos anos 80, o teatro passou por uma pequena reforma, sendo reinaugurado com um show de Chico Anísio e, posteriormente, servindo de abrigo para espetáculos como Brincando em Cima Daquilo (com Marília Pêra) e o musical A Chorus Line (que marcaria a estreia de Cláudia Raia nos palcos, com apenas 16 anos e trazendo também no elenco o coreógrafo de Teatro Musical mais consagrado no Brasil: Alonso Barros). Cláudia voltaria ao Terezão pouco tempo depois com o musical A Pequena Loja de Horrores (que também trazia no elenco Stella Miranda, Eduardo Dusek, Osmar Prado e a direção de Wolf Maya).

Nos anos 90, o Terezão recebeu artistas como Juca de Oliveira, Diogo Vilela, Paulo Gracindo, Marília Pêra (agora no espetáculo Prima Dona) e Célia Helena (Laços Eternos). Na comemoração de seus 25 anos, o teatro Tereza Rachel já contava com mais de 340 eventos artísticos e ultrapassava a impressionante marca de 5 milhões de espectadores, apresentando então o polêmico Oh! Calcutá em 1996.

No final da década de 90, o Terezão fechou as portas e encerrou suas atividades, depois de ter se tornado um verdadeiro templo da música e das artes cênicas no Brasil. Artistas como Nelson Cavaquinho, Marlene, Amelinha, Elza Soares, Paulinho da Viola, Zizi Possi, Clara Nunes, Adoniran Barbosa, Fafá de Belém, Erasmo Carlos, Aracy Balabanian, Glória Menezes, Renata Sorrah, Jorge Dória, Grande Otelo, Luiz Gustavo, Milton Gonçalves assinaram com Tereza Rachel páginas importantes da história das artes brasileiras.

Entre 2001 e 2008, o teatro foi usado pela Igreja Universal do Reino de Deus, sendo tombado pela Prefeitura da capital fluminense em 2004. De 2008 a 2010, serviu de abrigo e inspiração para o processo de ensaios dos maiores musicais da dupla Charles Moëller e Cláudio Botelho, como A Noviça Rebelde, O Despertar da Primavera, Gypsy, Hair, Um Violinista no Telhado e, por fim, As Bruxas de Eastwick, sendo fechado de vez em agosto de 2011 para uma reforma que o transformaria completamente (todas as cadeiras foram retiradas e a estrutura do espaço foi amplamente modificada).

O teatro foi arrendado pelos produtores culturais Frederico Reder e Juliana Reder (da Brainstorming Entretenimento) e, após mais de 10 anos fora de atividade para o público e com o patrocínio da NET, o teatro Tereza Rachel foi agora rebatizado de Theatro Net Rio (e com o slogan Para o Rio, o Terezão é Agora).  Nesta quinta-feira (5), o teatro abre suas portas para o grande público com duas salas: a sala Tereza Rachel (para homenagear a fundadora do espaço) com capacidade para 789 pessoas e a sala Paulo Pontes com capacidade para 200 pessoas (a inauguração desta sala será em breve).

Além de Bibi Ferreira, marcam a reinauguração do teatro com o espetáculo de dança Isto é Brasil a dupla Carlinhos de Jesus e Ana Botafogo, contando a história do samba e a grande influência africana na nossa cultura popular. Em seu perfil do Facebook, o diretor Cláudio Botelho comemorou a reinauguração, afirmando que o Terezão sempre foi sua casa por amor e quase usufruto, e que agora continuará sendo por afinidade. Botelho declarou que acredita no trabalho dos arrendadores do teatro, por serem pessoas que acreditam no segmento.

www.theatronetrio.com.br

Comments

comments